domingo, 23 de setembro de 2012

São Paulo Incoerente


Quando as luzes se apagarem
Quando as vozes se calarem
Quando nada mais se ouvir
Quando nenhum movimento passar
É por que a Terra cinza sucumbiu

Onde a pressa faz o ouro
Sem que a calma assuma o trono
Luzes, sons, vozes tomam posse
De uma ilha habitada por um povo
Povo forte, luta sempre, agarra a chance
Chance de mostrar a diferença num instante

Muito tempo se soube desta Terra
Tão difícil, tão instável, tão frenética
Trouxe ao mundo um método inconstante
Uma nova história, uma nova era
Uma solução para existir incoerente

















Nenhum comentário: